Notícias

Major Max Meinke participa da reunião da ACIBa

Por: Viviane Becker - 20/8/2017 às 0:00

Público atento as informações

Crédito: Viviane Becker

Participação do Major Max Meinke responsável pelo 10º Comando Regional

Crédito: Viviane Becker

Participação do Major Max Meinke responsável pelo 10º Comando Regional

Crédito: Viviane Becker

Na segunda quinzena de julho, a reunião de Integração da ACIBa reuniu diretoria, sócios da entidade, arquitetos e engenheiros que debateram sobre a estrutura e os serviços oferecidos pelo Corpo de Bombeiros, além dos detalhes que envolvem a lei do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio - PPCI.

Na noite de 15/08, como prometido pela entidade, a reunião contou com a participação do Major Max Meinke responsável pelo 10º Comando Regional. Os participantes mostraram as dificuldades enfrentadas para retirar o alvará e a demora da emissão dos mesmos, bem como questões que atrapalham o andamento dos processos. Eles fizeram relatos das situações cotidianas que envolvem essa problemática, mostrando que hoje o maior entrave no serviço prestado pelo Corpo de Bombeiros é que as liberações estão ocorrendo em Livramento.

Quando assumiu o comando em abril deste ano, o Major anunciou.: "Um dos primeiros projetos que quero implantar é a diminuição do tempo de espera para confecção de alvarás e Planos de Proteção Contra Incêndios (PPCIs), que ainda é um problema", declarou.

Além da demora na liberação dos alvarás, ainda existem muitas divergências nas questões relacionadas as adequações dos prédios baseados na lei 14.376 (Lei Kiss).

O Major mencionou que desde 1997, quando a corporação recebeu a incumbência de trabalhar a Prevenção de Incêndio nas edificações, diminuíram muito o número de sinistros. "E em 2013 com o incêndio da Boate Kiss, a nova legislação passa ser mais abrangente, e seu impacto coloca em colapso o serviço, no atendimento da demanda", comenta. Hoje em dia 70% dos estabelecimentos são de risco pequeno e médio, com processo de alvarás feitos de forma simples e declaratória via internet, porém ainda existem muitas solicitações aguardando liberação.

O Major explica que Bagé está entre as 20 maiores cidades do Estado e precisaria de um oficial que despachasse daqui. "Estamos fazendo o possível para agilizar e minimizar essa ausência, mas não temos prazo real, para que tenhamos um oficial atuando na cidade", confessou.

Ele adianta que haverá concurso para 50 vagas, mas como o curso de formação dura dois anos, a expectativa que esses profissionais comecem a trabalhar daqui há três anos.

Max ressaltou que o apelo feito pela ACIBa é importante e sugeriu a visita de uma comitiva ao Comando Geral do Corpo de Bombeiros em Porto Alegre, informando o que está ocorrendo na cidade. Outra sugestão é a construção de comitê junto com o Corpo de Bombeiros local, com representantes do CREA, dos Arquitetos e prefeitura para juntos alinharem esses assuntos, facilitando o encaminhamento de documentos e de pedidos de alvarás.