Notícia

Programa PAPO EXPRESSO abordou as metas da nova diretoria da ACIBa para gestão 2021/2022

13 de Janeiro de 2021

Durante o programa os gestores expuseram suas metas,  objetivos e desafios para a gestão 2021/2022 para a entidade que há  122 anos atua em defesa da classe empresarial.
Já na abertura o presidente reforçou a importância da campanha Valorize Bagé, promovida pela ACIBa, que fomenta as compras na cidade. Ele salientou a dificuldade que o comércio deve enfrentar em janeiro e fevereiro, período de pouco movimento onde o faturamento das empresas é menor. "Esse ecossistema empresarial precisa se manter vivo. Para produzirmos riqueza e renda e automaticamente, gerarmos empregos, precisamos que a comunidade compre no comércio local. As lojas estão seguindo os protocolos exigidos para o momento, gerando segurança e protegendo seus clientes", reforçou.
Há 10 anos participando das atividades da ACIBa, Souza já acompanhou várias gestões. Ele voltou no tempo e lembrou que a entidade tem origem em 13 de novembro de 1898 e que poucos dias após sua criação, o então presidente Emílio Guilain, já estava mobilizado pedindo ao executivo a isenção de impostos. O presidente contou que sua primeira ação, após ser eleito, foi se reunir com o Prefeito Divaldo Lara para debater o aumento do IPTU. "Passados 120 anos, as demandas são as mesmas. A caminhada da ACIBa permanece tentando convencer os gestores que a carga tributária atribuída às empresas continua alta e cada vez subindo mais", compara.

Economia
Na sequencia do bate papo o jornalista questionou sobre os desafios que se referem à economia para 2021. Souza salientou que a ACIBa acredita que será um ano de recuperação. "Já vínhamos enfrentando há dois anos, período de recessão, com a pandemia as empresas foram ainda mais prejudicadas. A Associação junto com a Federasul foi parceira para tentar junto aos deputados, intervir com o governador para rever aumentos dos impostos. O que foi aprovado e sancionado não é o ideal, mas ainda assim, consideramos uma grande vitória. Para 260 mil micro e pequenas empresas do Estado a alíquota de diferenciação - DIFAL (Diferencial de Alíquota do ICMS), que todo o comerciante pagava pela entrada dos produtos, desaparecerá. A partir de abril ela não será mais cobradas para as empresas inscritas no Simples. A ACIBA esta sempre lutando para que consiga aprovar uma carga tributária justa para as empresas", reforça.

Metas e objetivos para a gestão
Ricardo salientou que o convite feito a Soares para ser seu vice-presidente, foi para que ele possa contribuir, já que sua área de atuação é vinculada a informação e tecnologia. "A meta da diretoria é primeiramente modernizar a entidade, trazê-la para o século XXI. A ACIBa tem que se reinventar, trazer mais sócios e utilizar todos os mecanismos disponíveis pelas mídias sociais. Vamos buscar oferecer aos nossos associados toda uma gama de serviços, convênios, plano de saúde e demais vantagens. Queremos mais proximidade com as outras entidades, como foi feito em dezembro, quando unimos forças em busca de soluções que beneficiem a todos", relatam.
Sobre a necessidade de modernização Soares, reforçou que é preciso ter os instrumentos necessários para oferecer serviço de qualidade, equipamentos, sistemas, e do próprio gerenciamento das informações que estamos trabalhando, que está ligado a lei da proteção de dados. "Queremos uma aproximação maior com o associado, saber o que ele espera da entidade e entender se a ACIBa esta fazendo sentido para o sócio. Esse será nosso maior desafio. Assim iremos nortear nossas decisões e estratégias, de acordo com o que o associado espera, já que esta é a função da entidade", salientou o vice-presidente.

Demandas
O presidente contou que já esteve reunido com o prefeito e nesta semana tem agenda marcada com o presidente da Câmara de Vereadores onde serão alinhadas demandas do nosso município, não apenas do comércio, mas também da comunidade. "Se tivermos um comércio forte, todo mundo levará vantagem. Vamos procurar criar pontes através do diálogo para que se afinem ações que produzam feitos em Bagé", reforça.
"Qualquer aumento tributário que vai recair sob nossas empresas, empresários e comunidade, a entidade irá se opor. Ao final de 2018 a ACIBa promoveu uma grande mobilização quando soube que o executivo estava tentando aprovar na Câmara de Vereadores, que a forma de calculo do imposto das taxas fosse alterada. Com a ação de todos, incluindo os associados e os ex-presidentes da entidade, conseguimos frear a intenção do executivo. Não queremos que o município deixe de cobrar, como aconteceu agora com a suba do IGPM. A entidade interpretou que foi muito alto, um dos maiores índices do Estado. Ficamos com o aumento 20,92. Entendemos que a prefeitura tem custos, tem seu mecanismo para reajustar seus impostos, mas toda vez que essa carga tributária for pesar, a ACIBa estará lá defendendo a classe e a comunidade. Buscamos justiça tributária, não podemos penalizar o empreendedor/ empresário pelo alto custo de gestão da máquina publica", reforçou Souza.
O empresário Soares argumentou que as soluções não são fáceis, mas considera importante que as construções das soluções não sejam balizadas apenas nos impostos. "Acredito que o planejamento, organização, criatividade, fiscalização devem estar estruturados assim como muitas empresas fazem. Sabendo gerir bem seus recursos e organizando bem suas despesas é possível alcançar uma condição mais saudável e construir soluções que não sejam balizadas no aumento de taxas. Isso vem na contramão da economia do país de uma forma geral. Afinal viemos de um processo de recesso, muito antes da pandemia. Antes da chegada do coronavirus, os economistas previam o prazo de um a dois anos para a retomada pujante de crescimento. Ainda estamos enfrentando a pandemia e precisamos de mais tempo de recuperação. Os olhos dos governantes precisam estar atentos a isso. Se pensarmos no nosso PIB local, a maior movimentação é o comércio. Se o nosso comércio não for  nossa arrecadação diminui e proporcionalmente tudo diminui", argumenta o vice-presidente. 

Projetos e novas oportunidades
Os entrevistados falaram sobre o programa de estágio da ACIBa, o Prodesp, uma oportunidade bastante satisfatória tanto para o aluno, quanto para empresa que oferece baixo custo e coloca no mercado de trabalho jovens de diferentes níveis de conhecimento. "Hoje temos uma gama enorme de estagiários trabalhando via Prodesp. O Programa está disponível não apenas aos sócios, mas a todos os empresários da cidade que podem solicitar a seleção de estagiários direto na entidade. Nessa gestão vamos reforçar o Prodesp que traz ganho para a comunidade estudantil e para nossas empresas", explicam.
A ACIBa também tem um plano de telefonia próprio que oferece várias vantagens a um custo bem mais acessível para as empresas, com economia de no mínimo 25%.
Nos próximos 15 dias será apresentado um novo convênio que irá possibilitar plano de saúde aos associados da entidade. "Estamos viabilizando outros convênios para oferecer aos associados vantagens estendidas a sua família e colaboradores", projetam.
A capacitação através de palestras e cursos, que agregam conhecimento aos empresários irá retornar. "São opções gratuitas oferecidas pela ACIBa, a exemplo do que ocorreu durante todo o ano de 2019. Em parceria com a Federasul oferecemos várias palestras e cursos com enfoque em vendas, gestão de pessoas, marketing entre outros assuntos pertinentes ao momento. Nosso propósito é logo após a pandemia fazer com que esse processo presencial seja retomado. Acreditamos que capacitação e treinamento, ajudam as empresas a vender mais, assim estaremos auxiliando os empreendedores da cidade. Esses serão alguns pilares que vão nortear esse biênio da atual gestão da ACIBa", explicaram.
O programa PAPO EXPRESSO pode ser revisto na íntegra pelo no YouTube e pelas redes sociais da Pop Rock Bagé e da ACIBa.

 

Galeria de Imagens


Outros posts recentes